Slide

Tag: minha faculdade

Encontrei outra tag que gostaria de responder para vocês, e que pode ajudar a se nortear a quem vai prestar vestibular agora ou quer mudar de carreira também. Se vocês virem alguma outra tag legal e quiserem que eu responda, é só escrever aqui nos comentários ou na página do blog no Facebook. ;)
Prédio de Letras da USP (Imagem Usp virtual)
1. Qual seu curso de graduação?
Eu fiz Letras (Português/ Espanhol) bacharel na USP. Há a opção de cursar licenciatura após o segundo ano, mas nunca tive intenção, por isso escolhi apenas o bacharel.
 
2. Quanto períodos ele tem? Em qual você está?
O curso quando eu entrei tinha 8 períodos (semestres), mas bem no meu terceiro ano, a USP decidiu que o sofrimento não era muito e aumentou mais 2 períodos, fazendo o curso ter 10 (5 anos). Mas, o primeiro ano de Letras é básico, todo mundo estuda a mesma coisa. No fim dele, através da sua média, você decide se vai fazer apenas Português, mais uma língua (no meu caso, Espanhol) ou Linguística. Eu me formei em 2011, e atualmente faço pós-graduação na FMU em Comunicação em Redes Sociais.
 
3. Por que você escolheu este curso?
Escolhi Letras por dois motivos, o primeiro é que eu sempre gostei muito de escrever, adorava aprender línguas e queria trabalhar com textos. O segundo é que o curso de Jornalismo na ECA era muito concorrido e eu tinha tentado duas vezes a FUVEST, e nunca passava a nota de corte. No segundo ano de cursinho, optei por Letras que oferecia mais vagas e seria mais fácil de passar para segunda fase.
 
4. Antes de escolher este curso você pesquisou sobre o mercado de trabalho e o piso salarial?
Quando escolhi Letras eu pesquisei sim o mercado de trabalho, principalmente se conseguiria trabalhar como redatora ou editora. Na época (2003/2004) não haviam muitos sites falando sobre carreira, e o curso de Jornalismo não tinha tido o problema do diploma, então não era exigido o MTB para atuar, por isso, muitas vagas aceitavam Letras em redações, portanto, havia mais formas de eu crescer em revistas ou jornais, e principalmente, em sites que sempre foi meu objetivo principal.

Já a pós-graduação eu iniciei para ter um diploma na área de Comunicação Digital, que eu gosto de atuar.
 
5. Como foi seu primeiro dia de aula? Tem dicas para os calouros?
O primeiro dia de aula foi bem ruim, eu tinha duas aulas por dia, de 1h40. Nas duas aulas tive que ficar ouvindo que seríamos futuros professores, como não queria isso para mim, cheguei em casa chorando achando que tinha sido uma escolha errada.
Minha dica é que o mercado muda, o mundo muda e nossa cabeça também. Por isso, leve da aula o conteúdo que ela oferece, e não a opinião dos professores, aquilo que eles dizem nem sempre vai se aplicar a você.

6. Sobre seu TCC já começou a fazer? Que tema pretende elaborar?
Uma coisa curiosa, o curso de Letras não tem TCC. Terminei de concluir os créditos e pronto, estava formada. Já na pós-graduação, estou cursando sim o TCC e meu tema será em torno dos consumidores online e influenciadores digitais (Bloggers e Youtubers).

7. Você se considera uma boa aluna?
Eu era a melhor aluna da minha turma da primeira até a oitava série. No ensino médio eu também ia bem, estava sempre entre as notas mais altas, mas na faculdade a coisa mudou de figura. Na USP a média é 5.0, mas o nível de exigência dos professores é muito grande, só tirei meu primeiro 10 no segundo semestre, e dá para contar nos dedos quantos foram em 5 anos. Sempre fiquei acima da média, mas não figurava mais entre os melhores da turma, ainda mais depois que comecei a estagiar.
 
8. Você está 100% satisfeita com o curso que escolheu?
Com a crise no Brasil, trabalho em casa desde novembro de 2013. Começou a ficar mais difícil conseguir entrevistas e recolocação, teve vezes que achei que deveria ter cursado Direito ou Administração. Mas, tirando o fato da instabilidade financeira me atrapalhar de quando em quando, não me arrependi não. Falo e escrevo em três línguas, tenho experiência em textos como queria, trabalho com a parte digital, só não tenho emprego fixo ainda. Mas, vamos ver como ficarão as coisas.
 
9. O seu curso tem algum material exclusivo que não tem em outros cursos?
Não, o único material diferente que usamos foi um gravador para fazer trabalhos de linguística e língua. Tirando isso, muitos livros, xerox e anotações.
 
10. Na sua faculdade teve trote? Como foi?
Até teve, mas eu não fui na primeira semana dos calouros. No dia da matrícula jogaram farinha em mim, e depois pintaram minha cara e meu cabelo.
 
11. Seu curso tem muita matemática?
Não tem matemática nenhuma.

12. No seu curso aconteceram muitas desistências?
 Muitas. A boa parte das pessoas que desistiram entraram no curso porque não haviam conseguido outros cursos, mais ou menos como eu. Só que eu ainda tinha o objetivo de estudar textos, línguas, teve gente que queria Direito, Medicina, Relações Públicas. Geralmente eles ficavam um semestre, e daí saíam. Ao longo do curso deixei de ver as pessoas porque elas mudavam de horário, iam para o noturno quando haviam conseguido emprego.
Aliás, lembrando que USP é uma faculdade pública, se você não quer aquele curso de forma alguma, não o preste. Isso tira a vaga de muitas pessoas que realmente queriam estar lá, e não conseguiram porque você tirou a vaga delas. Nem que demore mais para escolher um curso na pública, pense muito bem antes de prestar o vestibular.

13. Quais dicas você daria para quem quer iniciar o mesmo curso que você?
Eu tenho outro blog em que fiz dois posts falando do curso de Letras, tem mais de 200 comentários de pessoas que me procuram porque têm muitas dúvidas em relação à carreira e mercado de trabalho. Eu acho que a principal dica é tentar conhecer o que se aprende em Letras em cada faculdade. Procurar ver a grade curricular, pesquisar área de trabalho e possibilidades. E, acima de tudo, lembrar que hoje temos opções de mudar a carreira ou se especializar em outras áreas fazendo pós e cursos paralelos, o importante é saber bem aquilo que você precisa do curso de Letras para o seu momento profissional.

14. Já pegou DP? Tem algum método de estudo?
Infelizmente sim, no último ano, no primeiro semestre, peguei uma DP por 4.7. Lembram que a média era 5.0?
Como a grade da USP só muda com o ano, e não com o semestre, tive que esperar voltar o semestre ímpar no ano seguinte para cursar a matéria. Foi terrível.
O método de estudo que eu usava era reler as anotações em sala, os textos pedidos para a prova e fazer resumo deles. Ajudou bastante.

15. Faça um resumo básico do seu curso para quem estiver interessado em fazê-lo.
 Bacharel em Letras é um curso muito rico, ainda mais na USP. Você tem matérias obrigatórias, optativas e eletivas e um número fixo de créditos que precisa cursar, como é você quem monta sua grade, pode ter certeza que nunca estará fazendo o mesmo curso que seu amigo, mesmo que vocês sejam da mesma turma em Português. A diversidade de matérias que existe é muito grande, assim como a liberdade de moldar o curso ao seu interesse profissional. Quem deseja, como eu, trabalhar com textos, ainda pode tentar matérias em outros cursos, como em Jornalismo. Ou seja, sabendo se planejar, você consegue escolher entre carreira acadêmica, licenciatura, mercado de trabalho (revisão, redação, edição) ou tradução.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...