Slide

Restaurantes em Santiago no Chile



Mais do que fazer compras, eu também adoro conhecer um bom restaurante, estou sempre lendo resenhas ou vendo cardápios. Sou uma pessoa fresca, dessas que come quiabo frito, mas não cozido, sabe? Então, se dou a dica de algum restaurante por aqui, é certeza de que comi muito bem.

No Chile eu fui em alguns lugares para comer, conheci o chacarero e não gostei, conheci o mote e achei esquisito, mas não de todo ruim, comi camarão e experimentei o pisco e fui parar no hospital, ou seja, nem tudo são flores em uma viagem numa aventura gastronômica.

Antes de falar dos dois melhores restaurantes, vou explicar o que são estes nomes que falei acima.

O chacarero é um sanduíche feito com churrasco de boi ou de porco, que leva tomate e porotos verdes (que é tipo um broto de feijão) e para quem quiser, maionese. Eu não gostei porque achei tudo sem tempero, a carne, a maionese que nem parecia maionese e esses porotos horrendos com gosto de vagem que eu detesto. Comi em um lugar chamado Domino no centro de Santiago, e não fui feliz. Mas, pode ser questão de paladar.
Chacarero de vacuno (bife de boi)

O mote já não é comida, é bebida. Típica do Chile ela é feita com uma espécie de calda de pêssego (huesillo) que depois de misturado com água lembra um chá e é adicionado ao mote (trigo), que fica ali no fundo do copo. O refresco precisa ser consumido gelado, mas nada lá é gelado que nem aqui. Peguei um copo pequeno para experimentar e achei bem doce, o gosto de pêssego é bom, e tem pêssego inteiro dentro também, só que desidratado. O que não fez sentido foi o mote, que parece milho. Porque você coloca milho em uma bebida doce? Por quê? 
Experimentando o mote

O pisco é uma bebida alcoólica feita de uva e que é comum no Chile e no Peru, eu tomei a versão chamada Pisco Sour (que leva clara de ovo). E eu adorei a bebida! Na borda da taça eles colocam açúcar do tipo de confeiteiro, daí ela fica mais docinha, e me lembrou uma marguerita com o fundo de Jurupinga, se é que vocês conseguem entender isso. Ia levar uma garrafa para casa, mas daí passei mal no dia seguinte e nem a degustação da Concha Y Toro eu consegui fazer.
Pisco sour (bebída típica)

Mas, vou indicar dois restaurantes ótimos para visitar.


Ali no charmoso bairro Lastarria, perto do Cerro Santa Lucia, há um reduto cheio de barzinhos e restaurantes, um lugar mega agradável de conhecer. Chegamos a uma espécie de ‘vila’ com alguns estabelecimentos servindo desde massa e risoto, até comida típica como ceviche. Acabamos escolhendo o Urriola, que ironicamente é de comida argentina. 
Merluza na manteiga
Pedi um filé de merluza com manteiga e o Vinicius uma espécie de bife à milanesa caprese, lá a carne de boi se chama ‘vacuno’. Para acompanhar pedi um risoto de parmesão (cerca de 0,9% de lactose) que foi um dos melhores da minha vida. A bebida também me surpreendeu, vi entre os sucos de frutas uma com o nome de chirimoya e resolvi perguntar o que era, pasmem, era fruta do conde. Lá a versão deles é três vezes maior que a nossa, e o suco estava muito saboroso. 
Suco de chimorya (fruta do conde) e entrada de berinjela
A conta com o couvert (que não foi cobrado), dois pratos principais, um refrigerante e um suco saiu por volta de R$123,50 (na cotação que pegamos). Uma refeição maravilhosa, por um preço surpreendente, já contando com os 10% do serviço.
Bife à caprese



Este restaurante foi para o último jantar que tivemos no Chile, bem no dia seguinte que eu havia passado mal, o que influenciou a minha escolha do pedido do prato. Estava doida para pedir um Entrecotê ou Boeuf Bourguignom, mas os dois eram pesados para quem só havia comido no dia anterior: 3 morangos, e uma banana e meia.
Pato com laranja, à esquerda tem patê de foie gra (eca)

Logo, o Vinícius pediu um pato com laranja e limonada para beber, e eu pedi uma truta com amêndoas e água para beber, a coisa mais leve que tinha. Se eu estivesse melhor teria aproveitado muito o restaurante, mas pelo menos eu o conheci. Ele estava tão lotado que tivemos sorte de conseguir uma mesa sem reserva. Eles também serviram couvert e não foi cobrado, a conta saiu cerca de R$95,00 para os dois. Não conheço nenhum restaurante francês em São Paulo com este preço, se alguém souber me avise nos comentários.
Truta ao natural com amêndoas

Comemos muito bem no Chile, apesar da minha intoxicação alimentar bem no meio da viagem (assunto para outro post). Indico estes dois restaurantes com toda segurança do mundo, e se eu voltar para lá, com certeza darei uma passadinha de novo por eles.

Quem quiser ver o vídeo de eu provando o mote é só acessar meu Instagram @vsusaki, segue no snapchat também Van_Ssk.

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Deixe seu comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...