Slide

Nécessaire de Viagem


Sim, eu estive sumida, minha gente. Como mencionei no post anterior, estava viajando pelo Reino Unido e França. Mas voltei cheia de novidades para contar! Podem aguardar muitos posts sobre produtinhos novos!
Resolvi que o primeiro post que faria sobre a viagem seria mostrando a nécessaire de maquiagem que sempre levo comigo quando vou ficar longe de casa. Esta não é a nécessaire que levo na bolsa, ok? Mas sim aquela com os básicos, e não tão básicos assim, que sempre levo em todas as viagens. Como se fosse um kit de sobrevivência, entende? A nécessaire que levo na bolsa é BEM mais básica do que esta, mas outro dia eu mostro, combinado? Ah! Vale lembrar também que não usei nem metade dos produtos que levei, mas é importante estar preparada para o que der e vier, certo?
Quando vou viajar sempre considero o lugar que vou visitar e os programas que pretendo fazer. Mesmo quando os programas incluem coisas “punks”, tipo escalar montanhas (olha o exagero), levo coisas essenciais para dar aquele “tapa” no visual caso seja necessário. Porém, sempre quero levar o mínimo possível, afinal, ninguém quer carregar peso desnecessário, certo?

Depois de alguns anos penando com a dúvida do que levar em viagens, acabei decidindo pelo seguinte: sempre levo duas opções de base, uma com cobertura e acabamento mais “potentes”, caso precise tirar da cartola um look mais elaborado (nesta viagem acabou sendo a Matchmaster da M.A.C.), e a minha paixão de todos os dias da vida e por toda a eternidade, a Vitalumiére Aqua da Chanel (que tem protetor solar e uma cobertura natural LINNNNDDAAA), que uso qualquer hora do dia nas áreas do rosto mais manchadas para uniformizar a pele e dar aquele ar de cara limpa.
Sempre levo também meu corretivo AMOR, o Effacernes Longue Tenue da Lancôme. Desta vez decidi levar também um corretivo em caneta da Chanel, o Éclat Lumière, que ajuda a dar uma iluminada em lugares estratégicos do rosto. Pensando na possibilidade de precisar de uma maquiagem mais trabalhada (o que não aconteceu nesta viagem), também sempre levo o iluminador da Benefit, o High Beam. Para esconder as minhas olheiras (que sim, tem vida própria) eu sempre carrego o Lemon Aid, que nada mais é do que um corretivo com um tom amarelo – perfeito para olheiras roxas como as minhas. Também sempre carrego o pó mineralize da M.A.C., que apesar de nem sempre usar, sempre levo para dar um acabamento mais “profissa,” quando necessário.


Sempre levo pelo menos um blush em pó e um cremoso... Desta vez, levei o Super Orgasm, da Nars, o Crème de Blush (cor 2), da Yves Saint Lauren, e o Warm Sould, da M.A.C.. Minha lógica é sempre levar cores e texturas diferentes que podem ajudar a compor visuais igualmente diferentes. Este é o mesmo motivo pelo qual sempre levo duas máscaras de cílios, uma marrom e uma preta. Se quero um make mais “cara limpa”, uso o rímel marrom; se quero mais “drama”, trabalho no preto. Desta vez, levei um marrom da Chanel, o Inimitable, e o preto da Guerlain, o Le 2 de Guerlan (ele tem uma escovinha menor para passar nos cílios de baixo, coisa que eu raramente faço). Ainda na mesma lógica, levo sempre um lápis de olhos marrom e um preto, assim posso escolher o quanto quero carregar no “drama”.
Também é fundamental meu rímel incolor para arrumar a sobrancelha. É algo tão essencial na minha vida que nem sei como vivi sem isso por tantos anos. Uso um da M.A.C., que já está comigo firme e forte há MUCHO tempo mesmo, o nome já até apagou-se da embalagem – vale o investimento.
E, claro, escolho algumas sombras que combinadas (ou não) podem resultar em alguns looks básicos, porém diferentes. Eu nunca levo uma sombra roxa, por exemplo, porque é mais difícil compor um look bacana do que com diversos tons de marrom e cinza. Nesta viagem levei seis sombras, que iam do camurça ao preto (Naked Lunch, Carbon, Kid, Satin Taupe, Handwritten, e Knight Divine). A ideia é levar coisas que combinem entre si, e possam também ficar ótimas por si só. 

Sendo assim e assim sendo, levei apenas um batom, o Hug Me, também da M.A.C., que fica bem com qualquer sombra que a M.A.C. poderia sonhar em colocar no mundo (além de ser meu xodó). Com os pincéis também economizo: levo um para aplicação de pó (o 129 da M.A.C.), um para o blush (o número apagou-se também, mas acho que é ó 129 em miniatura), e alguns com algumas funções diferentes para os olhos (o 224SE, o 266, o 242 e o 275SE).... Assim posso produzir um olho esfumado bacana, caso seja necessário.

Olhando assim, acabou parecendo que carrego a vida comigo, não é? E eu estava me achando super econômica nas makes...
Mas enfim, acho que o sucesso para viajar sempre segura de estar preparada para qualquer ocasião é sempre pensar muito bem nos programas que provavelmente irão acontecer durante o período, e apostar sempre em básicos, que quando juntos, possam resultar em looks não tão básicos assim. Vou preparar depois alguns posts mostrando um pouco dos makes que fiz durante a viagem, assim vocês terão uma ideia melhor dos resultados que consegui com toda esta tralheira.

Por Barbara Rees (Instagram: barbararees)

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Deixe seu comentário, e obrigada!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...